Destina-se ao Programa Emergencial de Suporte a Empregos – PESE, que reserva uma linha de crédito, exclusiva para o pagamento de folha salarial dos empregados, para empresas com faturamento anual entre R$ 360 mil e R$ 10 milhões, trata-se de uma linha de crédito emergencial para ajudar a colocar a folha de pagamento em dia.

O Programa Emergencial, designada pelo período de 02 (dois) meses, limita-se sobre o valor que é equivalente até duas vezes o salário mínimo por empregado, ou seja, o valor de R$ 2.090,00 (dois mil e noventa reais), de modo que o programa nãocobre pagamentos acima desse valor, ficando a critério da empresa complementar o salário.

O financiamento poderá ser pago em 36 meses, com carência de 6 meses e 30 parcelas, taxa de juros de 3,75% a.a e com o depósito dos recursos diretamente nas contas dos empregados.

As empresas que vierem a contratarem as linhas de crédito no âmbito do Programa Emergencial, assumirão contratualmente as seguintes obrigações: 

  1. fornecer informações verídicas;
  2. não utilizar os recursos para finalidades distintas do pagamento de seus empregados;
  3. não rescindir, sem justa causa, o contrato de trabalho de seus empregados no período compreendido entre a data da contratação da linha de crédito e o sexagésimo dia após o recebimento da última parcela da linha de crédito.

O crédito disponibilizado para as empresas – PESE, serão da seguinte forma:

  • 15% (quinze por cento) de cada financiamento será custeado com recursos próprios das instituições financeiras participantes;
  • 85% (oitenta e cinco por cento) do valor de cada financiamento será custeado com recursos da União alocados ao Programa.

O papel do BNDES é repassar os recursos às instituições participantes, que serão responsáveis pelo crédito aos clientes. Assim, se tiver interesse entre em contato com o seu gerente e questione a possibilidade de aderir ao plano.

Fonte: Rubens Paim

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

  • 18 − 8 =